75
LG Optimus 3D – Qual a maior preocupação que você já fez sua mãe passar?

A disputa foi bem acirrada e nós já temos o resultado.

A votação foi assim:

Ultradownloads votou na história 5 que veio do Papo de Bar

Objetos de Desejo votou na história 1 que veio do Ultradownloads

Teki Mobile votou na história 4 que veio do weRgeeks

weRgeeks votou na história 1 que veio do Ultradownloads

Papo de Bar votou na história 3 que veio do Teki Mobile

O campeão do concurso foi o Ultradownloads que recebeu 2 votos com a história número 1 enviada pela Ana Flávia Diniz Barbosa. Parabéns!

 

—————— // —————— // —————–// —————— // —————–

 

O comentário escolhido por mim foi esse:

Autor: Thiago
Email: thiagoxxxxxx@xxxxx.com.br
Comentário:
A minha mãe realmente tem 24 horas de preocupação, que é o meu turno de trabalho no Corpo de Bombeiros. Em meio a incêndios, desabamentos, enchentes, salvamentos em altura e acidentes de todos os tipos, onde a vida e a morte caminham lado a lado, sua preocupação só termina quando ela vê o seu “herói” voltar de mais um missão, realizada com muita alegria e satisfação, pois não existe bem maior que ajudar as pessoas e a gratidão destas é algo indescritível.

A votação final será feita entre os escolhidos dos blogs participantes e publicado em breve aqui
Agora é só torcer pelo Thiago …

 

—————— // —————— // —————–// —————— // —————–

 

Que tal contar isso pra gente e concorrer a um LG Optimus 3D

A campanha de dia das mães da LG tem o tema Mãe 24h, onde eles brincam com o fato das mães ficarem acordadas esperando os filhos e portanto são mães 24h. Seguindo esse conceito o tema do concurso é: Qual a maior preocupação que você já fez sua mãe passar?

Cada um deverá contar a história de qual foi a maior preocupação que já fizeram a mãe passar.
A participação será através dos comentários NESSE  post e terá o limite de 10 linhas!


Serão válidos os comentários feitos entre 04 a 11 de maio até as 12h, com no máximo 10 linhas!


Vou escolher a melhor história e encaminha-la para a LG.
Cada blog irá enviar uma história apenas, ou seja, se a sua for a escolhida, irá concorrer com mais 4 pessoas!

A votação do ganhador será de 14 até 15 de maio meio dia.
A votação será aberta e por e-mail e será mediada pelo responsável da LG
Todos terão direito a um voto e não poderão votar na sua própria história finalista.

Como vai funcionar?
Na data marcada todos os blogueiros participantes receberão um email com todas as histórias (menos a sua) sem o nome do blog que a história está representando e irão responder para a LG qual história escolhida entre as 4.
Mais do que uma concurso cultural é uma batalha entre os blogs/sites envolvidos, então a ideia é mesmo levar uma história bem bacana para ser campeão.

A divulgação do resultado será no próprio dia 15, até o final do dia, ou seja, fique atendo e volte aqui para saber o resultado!!!!!

Estão participando dessa promoção os blogs Ultradownloads, Objetos de Desejo, WeRGeeksTeki MobilePapo de Bar :)

1

2

3

Valendo …

Related Posts with Thumbnails
Ana Paula :)
Website
73 Comments
  1. A maior preocupação que eu fiz a minha mãe passar foi quando tinha uns 10 anos de idade e brincava na casa de um amigo em cima de um jipe e fui pular da traseira dele e cai de cabeça no chão, meus colegas me levaram pra casa e quando cheguei com a cabeça e o rosto todo cheio de sangue, minha mãe teve um susto e foi ficando palida e quase desmaiou. Depois de tudo ainda levei bronca.

  2. Eu tinha 5 anos, e decidi fugir de casa, nem lembro o motivo, mas fiz minha mochila (mamadeira, um urso e dois pirulitos) com itens básicos de sobrevivência, e fugi. Foram apenas dois quarteirões de um bairro relativamente calmo, quando um policial me achou e ria quando eu contava que estava fugindo de casa. Me obrigou a dizer onde eu morava, se não seria “presa” e me levou de volta. Isso tudo levou apenas 40 minutos, mas tenho certeza que a preocupação da minha mãe foi imensa. Só não fiquei de castigo, porque o alívio de me ver bem foi maior rsrs.

  3. A maior preocupação que minha mãe passou comigo foi quando viajei pela primeira vez aqui para São Paulo com escala em Brasília era pra sempre manter o contato com ela, por um erro meu perdi o vôo de escala acabei ficando em Brasília por mais tempo ela morrendo de preocupação sem saber onde eu estava e sem notícias pois ainda não tinha chegando em São Paulo e meu vôo certo já tinha, depois expliquei tudo a ela mesmo assim ela passou mais de messes com aquela preocupação de mãe mim chamando pra fazer video-chamada pela manhã antes de sair e a noite antes de ir dormir só para mim ver e ter certeza que eu tava bem

  4. Com 8 anos eu era invocado, pq baixinho sofre se nao for assim! Nesse dia eu só empurrei, juro, um grandao q estava nos intimidando. Ele nao esperava, perdeu o equilíbrio e rasgou a orelha numa pilastra de madeira. Na mesma semana, empurrei outro menino e ele arranhou o joelho. Meus pais foram chamados à escola, pq eu estava virando um monstrinho psicótico, lógico. Daí a grande ideia de um amigo: fingir q eu vinha sendo perseguido e só vinha agindo em auto-defesa nos últimos episódios. Claro q eu topei. 1…2…e 3! Para dar credibilidade, ele subiu no muro e tacou uma pedra na minha cabeça. Sangue. Depois disso, só lembro do rosto da minha mae, dançando no meu campo de visao, a caminho do hospital. Seu rosto meio azul… violeta… esverdeado. E nesse caleidoscópio, eu vi: esse foi o dia em q minha mae mais se preocupou comigo!

  5. (editado por causa do tamanho final ser diferente na caixa e no post, favor inserir apenas este aqui)

    Com 8 anos eu era invocado, pq baixinho sofre se nao for assim! Nesse dia eu só empurrei, juro, um grandao q estava nos intimidando. Ele nao esperava, perdeu o equilíbrio, caiu e rasgou a orelha. Na mesma semana, empurrei outro menino e ele arranhou o joelho. Meus pais foram chamados à escola, pq eu estava virando um monstrinho psicótico, lógico. Daí a grande ideia de um amigo: fingir q eu vinha sendo perseguido e só agi em auto-defesa nos últimos episódios. Topei. Para dar credibilidade, ele subiu no muro e tacou uma pedra na minha cabeça. Sangue. Depois, só lembro do rosto da minha mae, meio azul… violeta… esverdeado, dançando, a caminho do hospital. E nesse caleidoscópio, eu vi: esse foi o dia em q minha mae mais se preocupou comigo!

  6. A maior preocupação que fiz minha mãe passar foi neste ano de 2012, onde fui pela primeira vez a uma “acompanhante”. O tempo era de 1 hora e fiquei 15 minutos… Com raiva, fiquei até tarde da noite no bar sem avisar para ninguém e minha mãe já preocupada, gritando para os vizinhos que fui a uma acompanhante e fui sequestrado! Quando cheguei expliquei tudo…!

  7. A maior preocupação que minha mãe teve foi quando eu em julho de 2003(com 10 anos) fui atropelado DE RASPÃO por 1 trem… nessa época a estação desativada era aberta e entrava quem quisesse,e eu ficava ali perto com minha mãe( tinhamos uma banca numa passarela em frente á estação) era inicio de tarde eu e meu “amiguinho”(com aspas pq o fdm viu eu agonizando e ñ chamou ngm nem a minha mãe) sumimos por volta de 13:00 e eu fui atropelado cerca de 15:00.. e a minha mãe desde ás 13:00 preocupada cmg e nada de eu aparecer e as horas foram passando e passando até que ela soube q 1 menino foi atropelado por 1 trem e ela por curiosidade foi ver… e … infelizmente…era eu ô/ nossa coitada dela :”( quase matei a pobrezinha do ;fiquei 3 dias em coma quebrei a perna em 2 lugares … ela sofreu tanto que hj eu com quase 19 anos ela me chama de bebê(começou a me chamar assim quando eu tinha 16 ) é isso graças a deus sobrevivi com QUASE nenhuma sequela

  8. Virada de ano de 2009 pra de 2010. Minha família viajou pra nossa casa na praia (Penha-SC) e eu tive que ficar em Curitiba por conta de trabalho. Chegando ao fim do meu turno, lá por 22 horas, um amigo me liga dizendo que estava em Curitiba também e resolvemos sair pra comemorar o ano novo. Saímos com o carro dele, um Honda Civic, e fomos à um bar de Curitiba chamado Crossroads. Bebemos um pouco demais e na hora de ir embora, lá por 6 da manha, ja nao estavamos em condicões de dirigir, discutimos um pouco mas resolvemos ir de carro mesmo. Certo momento do trajeto de volta ambos dormimos no carro (eu de passageiro) e o carro sai da rua e bate em uma arvore, estavamos a uns 60/70 km/h. Tive hemorragia interna e retaliação do intestino delgado. Minha mãe acordou com uma ligação da assistente social do Hospital dizendo que eu estava entrando em cirurgia naquele momento e meu estado não era dos melhores. Por sorte deu tudo certo, mas agora todo ano novo eu ligo pra ela pra dizer que tá tudo bem! :)

  9. Quando eu tinha 6 anos tive uma brilhante idéia no camping que estávamos. “Porque não colocar as bóias de braço nos pés?” pensei. E fiz. Resultado, pés para fora da água e o resto para dentro. Não conseguia voltar, óbvio. Fui puxado para fora da piscina pelos pés… e minha mãe esquentou minha orelha….

  10. Eu sempre fui muito arteira, amava me esconder, as vezes íamos em lojas e me escondia entre os manequins, minha mãe demorava horas para me achar. Mas a pior foi quando fui na casa de uma amiga que tinha piscina, e resolvemos brincar de esconde-esconde. Fui para baixo de uma cama que tinha cobertas que caiam até o chão, pelo lado que tava encostado na parede. Me enrolei nessas pontinhas de cobertas, e nada de ninguém me achar, acabei adormecendo, quando eras umas 21 horas, me acordei e chateada não terem me achado, sai dali, estava todo mundo louco, inclusive minha mãe desesperada chorando, bombeiros por todo o quarteirão me procurando. Até na piscina entraram pensando que havia me afogado. Resultado? Fui proibida de brincar de esconde – esconde.

  11. Tinha por volta dos 4 anos. Minha mãe havia saído para buscar alguma coisa num mercadinho perto de casa, e minha avó, que morava na casa da frente, iria olhar eu e minha irmã de tempo em tempo. Só que num dos momentos em que ficamos sozinhas por algum motivo minha irmã menor começou a chorar e eu tive a brilhante ideia de levá-la ao parquinho. Lembro de ajudá-la a pular o portão, empurrando por baixo até que ela caísse pro outro lado. Peguei na mão dela e fui descendo a rua, rumo ao parquinho. Nisso, minha mãe já havia voltado e já estava no portão com minha avó, doida nos procurando. Quando de repente, nos vê virando a esquina de mãos dadas com o dono do armazém. Ele nos viu passando sozinhas, e, por sorte, resolveu nos levar de volta! Minha mãe não esquece essa história e conta toda vez que alguém fala de filho arteiro! Mas pra mim, não aprontei nada, só estava ajudando minha irmãzinha!

  12. Provavelmente a maior preocupação que eu fiz minha mãe passar foi quando eu e alguns amigos decidimos dormir no playground de uma loja infantil de um shopping. O problema é que um segurança também decidiu ir dormir no mesmo lugar e lá pelas 3 da manhã nos encontrou brincando. O shopping chamou a polícia, que nos revistou, chamou de todos os nomes possíveis e nos levou algemados (inclusive as meninas) para a delegacia fazendo o maior terror psicológico na gente, porque agora nós éramos invasores de propriedade privada. Acabou que no fim eles viram que só éramos jovens procurando por diversão e ligou para os nossos pais nos buscarem. Minha mãe falou que se eu for preso de novo ela não me busca mais.

  13. A minha mãe realmente tem 24 horas de preocupação, que é o meu turno de trabalho no Corpo de Bombeiros. Em meio a incêndios, desabamentos, enchentes, salvamentos em altura e acidentes de todos os tipos, onde a vida e a morte caminham lado a lado, sua preocupação só termina quando ela vê o seu “herói” voltar de mais um missão, realizada com muita alegria e satisfação, pois não existe bem maior que ajudar as pessoas e a gratidão destas é algo indescritível.

  14. Quando eu tinha sete anos, fui com a mãe na farmácia e, enquanto ela comprava os remédios, fiquei próxima à porta, brincando. Encontrei uma cartela de remédios no chão e – coisa de criança – tirei alguns da embalagem e coloquei na boca, como se fossem balas. Ao me ver, com um líquido vermelho escorrendo pelo canto da boca e a língua e os lábios igualmente coloridos, minha mãe quase teve um treco. Começou a gritar que eu ia morrer, que teria uma overdose e cairia durinha no chão… Me fez beber litros de leite “para desintoxicar” e não me deixou dormir para controlar as reações do tal medicamento, seguindo o conselho de minha avó. Ao achar a embalagem do tal “remédio” no meu bolso, surpresa! Eram apenas pastilhas para rouquidão…

  15. A maior preocupação que fiz minha mãe passar ela não foi a primeira a saber… minha cachorra escapou, e fui atrás dela… tinha uns 9 anos… peguei ela no meio da rua de cima, mas aí vinha uns 500 carros de uma vez, e fiquei em cima da faixa, com uma cachorra na mão, esperando os carros passarem raspando do meu lado.Quando passei esse sufoco, quem tava do outro lado da rua me esperando? Minha vó. Mesmo apavorado, quando cheguei em casa, não escapei de tomar uma dura da minha querida mamãe…

  16. A maior preocupação que eu fiz minha mão passar foi quando eu tinha ido ao shopping e num levei meu celular, tinha esquecido no carro, e ela ficou me procurando por altas horas. Passou altas horas até que ela resolveu procurar no carro e achá-lo. Depois ela ligou para um dos amigos meus que estavam comigo lá do shopping e falar comigo e combinar de me buscar. Acabei que voltando de ônibus pra casa e ela foi me buscar lá. quse que ela morre do coração quando não me encontrou lá. Quando voltamos para casa e nos encontramos foi um tremendo alivio pra ela e no final deu tudo certo!

  17. A maior preocupação que fiz minha mãe passar foi ir para o hospital aos 8 meses de grávida para fazer um exame e de lá não poder sair por está com a pressão muito alta e ter que ir para a cirurgia de urgência, após o parto fiquei com meu filho na UTI por 8 dias, parto muito complicado, mas que depois nos trouxe bastante alegria. Ele chorava e orava muito pedindo a Deus que me desse força para viver ao lado do meu filho e ter a felicidade da maternidade.

  18. Desde pequeno que minha se preocupava comigo, até hoje ela se preocupa viu? Mas, as maiores preocupações que fiz minha mãe passar foi quando eu era pequeno, eu brincava com um amigo, nesse dia, ele me amarrou (mãos para trás e pés ) todo e começou a me cutucar, quando derrepentemente ele me empurra e bato com a cara no chão. Nisso, acabei quebrando o queixo, peguei uns 6 pontos e passei umas três semanas com o curativo no queixo. A outra, foi quando eu brigava com minha irmã, nisso, fui achar de subir em cima da pilastra onde ficava o tanque d’água, quando não, eu caio de cima desse tanque e me ralou todo, e minha mãe querendo me dá banho pra limpar um pouco de sangue que surgiu com os ralamentos. A última e a mais preocupante, foi quando eu brincava, de pular cabra cega. Eu brincando numa boa com meus amigos, quando foi a minha vez, um deles se levantou bem na hora que eu estava pulando e dei de peito no chão, comecei a passar mal e os vizinhos ajudando a minha mãe, porque eu não respirava e eles dizendo que eu não podia dormir. E minha mãe ali, sempre me olhando pra que eu não dormisse.

    Minha mãe não pode ser a melhor do mundo, mas de uma coisa eu sei: Eu a amo e sempre a amarei. Porque, foi ela que ficou ali os 9 meses me esperando nascer, seja nas dificuldades da vida, ela sempre batalhou para me dá uma boa dignidade de vida.

  19. Saí de casa sem avisar, esqueci o celular, fui sozinha ao cinema assistir a um filme campeão de bilheterias, a fila estava enorme, passei horas e horas, mas consegui entrar, no fim muito cansada, acabei dormindo no ponto, perdi o ônibus e voltei descalço para casa, após um assalto, quase matei a mãe do coração de tanta preocupação, mas terminei sobrevivendo a um dia de cão e muito carão!

  20. “Mãe, amanhã vou sair com o pessoal da igreja, ok?!”
    “Para onde?!”
    “Ah….uma trilha aí pela naturezaaa”

    Assim começou a “surpresa” para mamãe!
    Decidida a despertar meu lado aventureiro, resolvi fazer uma pequena trilha com os amigos. Destino: Agulhas Negras!
    Chegando lá tudo era belo, até descobrir que iríamos escalar aquela “pequena” montanha. Bom, como é sempre de lei, precisava ligar para minha mãe avisando que havia chegado bem no lugar:
    “Alô mãe?! Só pra falar que aqui é demais e que cheguei bem! Ah e parece que vamos escalar uma montanha, mas parece tranquilo, já fizeram várias vezes”
    E essas foram as últimas palavras que eu disse para minha mãe antes de escalar 2 791,55 metros de altitude, ficar presa entre as pedras, dar uma de Tarzan com uma cordinha para pular pro outro lado, escorregar na parte mais íngreme da montanha e ficar quase 4h sem beber água ou comer. Detalhe: sem equipamentos.
    Naquele momento imaginava o que seria mais chocante…voltar viva dessa “pequena” aventura ou ver a reação da minha mãe quando ela descobrisse o “passeio” que eu fiz.
    Realmente, voltar viva foi o mais chocante. A única coisa que eu ouvi da minha mãe foi: “Eu acho melhor você não fazer esse tipo de coisa de novo tá filha?!” e aquela cara de espanto com um silêncio de “não acredito!” de fundo.
    Acho que ela ficou um bom tempo traumatizada com essa aventura e agora sempre pergunta: ” Como é o passeio que você vai?!”

  21. A maior preocupação que fiz minha mãe passar foi quando, aos 12 anos de idade, pulei uma mureta, agarrei a bova num varal, caí de uma altura de cerca de 1,50m e bati as costas e a cabeça numa pilha de tábuas. No momento em que levantei, estava sem ar, sem fala e com sangue escorrendo pelo canto da boca. Quando consegui chegar perto da minha mãe eu estava virando o olho e minha visão escureceu. Ela me deu uma sacodida e eu voltei. Ela tentou me levar para o hospital, mas eu falei pra ela ficar tranquila porque eu estava bem. Foi isso.

  22. Ixiiii, preocupação da minha mãe, tadinha , ela sofre ate hoje , mais a maior ( eu acho) foi quando falei pra ela que ela ia ser avó, só que de Três netos de uma vez..rsrsrsr, , mais ela ficou apavorada mesmo foi quando ela soube que eram de mães diferentes , ela ate desmaiou de susto, a coisa melhorou um pouco pro meu lado quando só se confirmou um , mais o susto dela durou um bom tempo , ate tudo se confirmar…..

  23. Foi quando tinha uns 16 anos.
    Saí de carro com uns amigos, mas não disse para onde ia. Moro no Embu-SP, e fomos para São tomé das Letras-MG. Ficamos por uma semana lá, só nos divertindo, fazendo a maior farra possível.
    Celular? Ninguém na turma tinha.
    Alguém sabia onde estávamos? Nem o pai do motorista. A mãe dele só sabia que estávamos com o carro do pai dele. E como o velho estava viajando a trabalho, e voltou depois de nós, acho que nunca soube, ou se fez de bobo.
    Escola, Trabalho? Era um feriadão prolongado, mas todos perderam ao menos 02 dias, injustificados.
    Minha mãe só num tinha ido a delegacia ainda, porque meus irmãos a “tranquilizaram” dizendo que provavelmente teria fugido de casa.

  24. Não foi com a minha a mãe, mas sim a de um amigo meu. Mas vale a pena contar!
    Véspera de Cosme e Damião, meus amigos Lincon e Daniel decidiram amarrar um Judas em uma torre de telefonia celular, eram por volta de 17:30, começava a escurecer, quando estavam quase no topo, a mãe do Lincon viu a cena e se desesperou, gritava feito um vendedor de atum num mercado de peixes japonês. Pobre senhora. Lincon ao ouvir os gritos da mãe, soltou o boneco, que caiu girando feito um ser humano – foi tão real que até o boneco sentiu-se gente – no meio da queda do boneca o silêncio tomou conta da vizinhança, a mãe de Lincon havia desmaiado rsrs.
    Hoje estão todos bem e felizes. ;-)

  25. Eu já fiz minha mãe passar por muitos aperreios, e ainda a faço se preocupar. Mas de todos os momentos o que me recordo dela mais brava e preocupada foi quando eu tinha 5 anos de idade e estudava em uma escolinha que tinha um parque e muitas árvores, na hora do recreio eu subi em um pé de jambo e fiquei lá, o sinal tocou mas eu não desci não sei porquê, daí a aula acabou mais ou menos de 12h e minha mãe foi me pegar, e cadê dela me encontrar! Eu me lembro que via ela e as professoras atrás de mim em prantos, correndo de um lado para o outro. Lá pelas 20h minha mãe, quase ligando pra polícia, teve a brilhante ideia de olhar pra cima e me encontrou. Eu estava com medo de apanhar por isso que eu não desci antes, mas apanhei do mesmo jeito.

  26. foi no dia que um amigo meu que estava comigo no rio capital ligou para uma irmã minha na região serrana dizendo que era um policial e que estava no acidente que tinha acabado de aconter e queria informa que eu tinha morrido carbonizado e que só tinha sobrado meu celular uma das minhas lentes de contato. com isso minha irmã que atendeu começou a passar mau, ja que ela tem problema de coraçãol então ligaram para minha mãe que então teve uma grande preucopação; não sabia se socorria minha irmã ou se corria atras de mim para saber se era verdade ou não o telefonema , já que meu amigo ezagerou no trote. acho que isso foi uma grande preocupação ate porquê ela teve que esperar ate no outro dia quando chegue para saber se era mentira ou não , eu não tive coragem de atender o celular no dia para dizer que era só um trote. coitada da minha mãe.

  27. Eu tinha uns 10 anos e meu irmao claudio 13 anos, guando começamos brigar por causa de uma bola. Meu irmao estava chupando laranja guando ameaçou tacar a faca em minha cabeça. Sai correndo quando senti o cabo da faca batendo em mim, fiquei paralisada com o coraçao na boca. Para me vingar , peguei a pá de lixo velha e taquei também na cabeça dele…rsrsrs. ele chorou muito por que abri a testa dele ao meio . Minha mae chegou na hora e deu uma surra em nós dois,dizendo que ficariamos de castigo por resto da vida. Até hoje me recordo de minha mae contando para meu pai que guase se matamos por uma bola.

  28. Acho que a maior preocupação que fiz minha mãe passar foi quando visitávamos minha tia em brasília, nos anos 70, era moda você ter em casa trigo seco para decoração, estávamos eu e meu irmão na sala de TV, ele assistindo TV e eu entediado fazendo gaivotas de papel, até que numa inspiração resolvi ver como ficava se eu acendesse um fogo na gaivota e vê-la voando fazendo fumaça, foi o que fiz, infelizmente a gaivota caiu na caixa com o trigo, que obviamente começou a pegar fogo, e eu resolvi apagar abanado minha camisa, claro que uma decisão tão brilhante foi saudada com o considerável aumento do fogo e duas crianças gritando por socorro, minha mãe chegou na sala, pegou a caixa e saiu correndo pra tacar a caixa flamejante no chuveiro. E assim encerrou minha carreira de piromaníaco!

  29. foi no carnaval de 2011 , fui pra festa 22:30 aê chegue no i outro dia 7 hrs da manha maior pórre !! kkkkkkkkkkk a casa dos meus tio é bem do lado da minha , aê fui pra la p mae nao brigar “” cheguei e fui dormi na cama do meu primo!! a mae tava loucona ja sem saber onde eu tava , tinha ido em todas as casas dos meus amigo ii eles dizendo que me viram eu entrar em ksa, ela foi procurar na casa toda e nada de me encontrar. deu 1, 2 , 3 , 4 … 8 hrs da noite ii nada deu aparecer (ainda tava dormindo kkkk) ae ela desesperada foi falar com meu tio dizendo que eu tinha sumido ja ia fazer 24 hrs !!! ae meu tio disse que eu tava la “”" ela foi la onde eu tava ii me acordou com um tapao bem na fuça kkk ainda hj doí “”"”" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. e ate hj ela fala nesssa historia ae !!!kkkkkkkkkkkkk te adoro mamae ^^

  30. Aos 4 anos de idade enfiei minha cabeça no vão de uma grade, daquelas que protege as escadas, tipo corrimão! Minha mãe ficou doida, não ia pra frente , nem pra trás! Até que resolveu chamar os bombeiros! E com sua ajuda enfim, serraram a grade e estou aqui vivinha da Silva! com certeza um GRANDE susto!

  31. Decidida dar uma de aventureira, resolvi fazer uma pequena trilha com os amigos.Destino: Agulhas Negras!Bom, como sempre precisava ligar para minha mãe quando chegasse:“Alô mãe?! Só pra falar que aqui é demais! Ah e parece que vamos escalar uma montanha, mas parece tranquilo, já fizeram várias vezes”.E essas foram as últimas palavras que eu disse para minha mãe antes de escalar 2 791,55 metros de altitude, ficar presa entre as pedras, dar uma de Tarzan com uma cordinha para pular pro outro lado, escorregar na parte mais íngreme da montanha e ficar quase 4h sem beber água ou comer. Detalhe: sem equipamentos.Voltar viva depois disso tudo foi o menos chocante, porque ver a reação da minha foi bem atormentador.Não entrarei em detalhes, mas. sempre antes de sair eu tenho que responder a pergunta: ” Como é mesmo o passeio que você vai fazer?!”

  32. Foram várias preocupações. Sempre fui muito levada, bagunceira, enfim. Fazia coisas de deixar qualquer mãe maluca. Quando eu tinha 3 anos,por ser muito levada, mamãe antes de dormir trancava a casa toda e colocava a chave debaixo do travesseiro para eu não fugir de casa. Quando foi um belo dia, mamãe acordou e a casa estava um silêncio e ela foi logo passando a mão debaixo do travesseiro p ver se a chave ainda estava lá e a chave estava, e a casa estava toda trancada, as portas, janelas, tudo. Aí ela me procurou pela casa toda, em todos os lugares, armários, guarda-roupa,debaixo da cama, tudo. E nada de eu aparecer. Mamãe ficou desesperada. Aí ela foi na cozinha e escutou um barulho, quando mamãe abre a geladeira, quem estava lá dentro? Eu =] Estava escondida dentro da geladeira. Abri aquele sorrisão e falei: Mamãe me achou!

  33. Em 2009 antes de meu casamento quando descobrimos uma doença que eu tinha contraído. E estávamos esperando o resultado de outro exame… esse exame o resultado só ficava pronto em 1 semana, e foi a mais longa e difícil semana para minha mãe, muito choro, e sofrimento… mais no fim saiu tudo bem… e o exame não tinha nada. Prometi a ela sempre estar preocupado com minha saúde desde então…! e desde então nunca mais ela teve outro susto.

  34. A maior preocupação que eu fiz minha mãe passar, eu tinha 4 anos de idade, meu pai costumava me levar junto quando ele ia jogar futebol, antes do jogo ele encontrava os amigos em um bar, enquanto ele tava lá reunido com os amigos, eu saí para brincar na rua.
    Olha só a brincadeira idiota (como eu disse tinha 4 anos então não pensei direito), atravessar correndo a rua de um lado para o outro, estava tudo correndo tão bem quando passou um chevette e me atropelou, jogando pelo menos uns 20 metros longe (é o que dizem), lembro de ter quebrado o dente, bati a cabeça na guia, quebrei um braço, fêmur, na hora apaguei, só fui acordar quando estava no hospital, minha mãe ao meu lado chorando me vendo todo estirado, eu lembro de falar para ela, mãe, não chora.
    Nossa foi muito difícil as semanas seguintes, pq fiquei engessado minha perna esquerda até o meio da barriga e até o joelho da minha perna direita, imagina fiquei totalmente imóvel, com um buraquinho na frente para fazer xixi e um buracão atrás para fazer côco hehehehe…
    Recebi muitas visitas, de amigos e familiares, lembro que coçava muito o gesso e eu não conseguia nem enfiar uma régua para coçar, chegou o dia de tirar o gesso, quando o médico ou enfermeiro pegou a serrinha para cortar o gesso, na hora que cortou na perna esquerda, o sangue foi escorrendo por tudo quanto era lugar, por conta da coceira fez uma ferida enorme na parte de trás do meu joelho, tenho a cicatriz até hoje.
    Continuei indo aos jogos com meu pai, só que desde o fatídico dia, morria de medo sempre ao atravessar a rua rssss…
    Hoje estou tranquilo e não dou mais preocupação a minha mãe rsss..

  35. A maior preocupação que dei para minha mãe foi quando sumi sem deixar rastros por um dia inteiro, estava sem celular, ela estava esperando por mim e já estava muito aflita. Quando cheguei em casa por volta das 18 horas, ela estava chorando muito. Além de me colocar de castigo, ela disse que eu ia ficar sem celular por uma semana pra lembrar pra quê ele serve. E também levei uma surra que nunca esqueço!

  36. Quando eu tinha 6 anos e minha irmã 5,nós deveríamos esperar minha tia mais nova nos buscar na escola.Mas achei que ela havia esquecido e que estava na sua casa,então resolvi que iríamos para casa sozinhas,caminhamos umas 10 quadras até chegar onde morávamos e também atravessamos várias ruas com muito trânsito de carros.Quando chegamos havia um cachorro grande solte então fomos até a casa da minha avó,minha tia ficou muito brava pois não estavamos na escola a sua espera.Quando minha mãe chegou estava muito nervosa e brava porque andamos sozinhas e sem um adulto.Mas no final ficou tudo bem,porém nunca mais deixou minha tia responsável por nós.

  37. Quando eu tinha uns 16 anos fui fazer uma viagem com meu pai de barco, porém no decorrer da viagem caiu uma chuva tão grande que nos perdemos no meio do mar, o barco ficou a deriva e a maré nos levou para muito longe. Sendo que tinhamos que voltar na manhâ seguinte, porém não tinha como voltar pois estavamos perdidos e por volta das 13hs do outro dia vimos uma lancha se aproximar e era um pai de um amigo meu nos procurando e dizendo que a minha mãe estava desesperada e não parava de chorar por minha causa e de meu pai. Retornamos para casa e quando minha mãe me viu foi uma das maiores felicidade na vida dela. Te amo mãe Terezinha Téles, feliz dia das mães!

  38. Foi a primeira vez que eu sai sozinha,pois demorei muito e não tinha celular então minha mãe ficou muito brava,e agora eu saio com o celular dela.

  39. No terceiro ano do ensino médio (que eu fazia em Cubatão), quando eu fazia ensino técnico de tarde (em Santos), certa vez fiquei na escola o dia todo e não fui para o técnico, para ficar com minha namorada.
    Acabei ficando lá até tarde e minha bateria do celular acabou.
    Minha mãe e o ex-marido passaram minha descrição para a polícia e foram me procurar em Cubatão, pois imaginaram que eu teria bolado a aula do técnico para ficar com a menina o dia todo…
    Na estrada, me viram dentro do ônibus que ia para Santos e pararam o ônibus, freando bruscamente o carro na frente do mesmo.

  40. No dia do meu aniversário de 17 anos, eu sai de casa por volta das 17:00 horas falando que iria visitar uma amiga da escola por conta do trabalho , mas na verdade eu sai de casa para ir namorar com uma menina que eu estava ficando. Cheguei em casa 00:30 e minha mãe estava na varanda chorando muito e quando me viu, veio correndo e me abraçou, e disse, liguei para a policia, fui nos hospitais aqui perto de casa e nada de você, seus amigos vieram com bolo refrigerante pra te fazer uma surpresa e você não estava, inclusive veio junto a tal amiga que vc falou que iria na casa dela, por isso você me deu essa preocupação toda. Contei que eu estava namorando, por isso menti. E disse pra ela me dar um celular, pois assim me acharia sempre que quisesse, e assim ganhei o meu primeiro celular, por conta de muita preocupação da minha mãe.

  41. A maior preocupação que fiz minha mãe passar foi quando eu tinha 12 anos de idade e acabei me escondendo, sem querer, após ouvir ela reclamando porque eu não queria estudar, ela estava no meu pé pois eu teria uma prova no dia seguinte. Logo após ficar com raiva por ela estar enchendo meu saco fui para cama chorando a os berros. Algumas horas depois minha mãe foi me chamar para jantar e não me encontrou, foi na rua e perguntou se meus amigos haviam me visto, ninguém sabia de nada, meus amigos e todos que na rua se encontravam iniciaram a busca a mim pelo condomínio onde moramos, já que eu não estava autorizado a sair de lá e o guarda não me vio passar. Depois de mobilizar a polícia e vai saber mais oque, a nossa vizinha deu a idéia de me procurar dentro de casa, procuraram em todos os cômodos, em armários, guarda roupas até que ao olhar embaixo da minha cama, estava eu lá, dormindo, acho que chorei tanto que peguei no sono, quando me acordaram não entendi nada, minha mãe chorando, tadinha, ja eram umas 21h e eu estava cheio de sono, então me colocaram na cama, peguei no sono. No dia seguinte, estava tentando entender oque políciais faziam no meu quarto naquela noite, até que minha mãe me eplicou tudo, quase levei uma surra. TE AMO MÃE!

  42. A maior preocupação que fiz minha mãe passar, foi aos 23 dias de nascida, onde eu rejeitava o leite materno, e tinha alergia a todos os outros leites. Emagreci muito, fiquei desnutrida e fui internada, os médicos não sabiam o que me dá pra comer. Fiquei só pele e osso no hospital, no soro, tinha soro por todo o corpo, até na cabeça. Tive que fazer transfusão de sangue, pois meu organismo estava reagindo muito mal, para todos os tipos de leite. Já estava quase morrendo, quando os médicos decidiram a última tentantiva de me salvar. Foi aí que me deram leite condensado e eu comecei a melhorar até que fiquei boa por completo. Só assim minha mãe voltou a sorrir!!!

  43. A maior preocupação que fiz a minha mãe passar, na verdade, não remete a um único momento. Todas as vezes em que estive distante, sem dar sinal de vida, sei que ela ficou com um aperto no coração e tudo que mais queria era poder me ver ao vivo, em três dimensões. Ah, se ela tivesse um LG Optimus 3D… Era só deixar um vídeo gravado em 3D e aliviar sua agonia!

  44. Eu estava fazendo o Tiro de Guerra no final de 84 e já estava combinando com 2 amigos nossa ida ao Rock in Rio para ver o show do AC/DC. Estávamos mega ansiosos combinando tudo. No final de dezembro, poucos dias antes, veio o veto do meus pais que estavam sem dinheiro para bancar minha ida até o Rio. Meus dois amigos estavam com problemas também, mas não queríamos perder a chance. Combinamos uma ida até o sitio de um deles por uma semana para passar o réveillon e resolvermos ir a pé até o Rio de Janeiro com o pouco de dinheiro que tínhamos. Dez dias depois estávamos na cidade do Rock. Nos hospedamos na casa de uma amiga, que nos presenteou com os ingressos. No dia do show, diante do palco, uma equipe da rede Globo começou a entrevistar as pessoas. Claro que não íamos dar bandeira numa entrevista, mas ficamos pulando euforicamente ao fundo, sem imaginar que alguém da nossa família pudesse nos ver. Dito e feito. A noticia da nossa ida ao Rio correu por todos os cantos. Minha mãe, desesperada, ligou para a prefeitura do Rio e até para a Rede Globo, querendo que a equipe entrasse em contato com a gente. Em vão, claro. Mais dez dias depois do show, de volta para casa, minha mãe e a mãe dos meus amigos esperando três marmanjos de 19 anos de cinta na mão. Vergonhoso falar isso, mas apanhei com 19 anos. Agora com 47 anos, entendo o desespero da minha mãe. Eu faria o mesmo se meu filho fizesse isso.

  45. A maior preocupação que eu fiz minha mãe passar, foi no momento do meu parto. O momento do parto teve complicações.Ela já estava com 9 meses e uma semana, e a bolsa se rompeu em casa. No momento do parto,eu defequei e teve que ser um parto de urgência,por esse fato. O parto foi cesariano, e graças a Deus ocorreu tudo bem. Mas minha mãe ficou muito preocupada com a situação,e com medo de que minha saúde fosse prejudicada,ou que acontece algo pior

  46. Meu nome é Renan e o nome da minha Mãe e Raquel

    Bem tudo começou num Sábado eu tinha acabado de chegar do curso e estava cansado, subi para o meu quarto quando minha mãe falou pra min não sair por que ela iria dormir um pouco eu falei tabom. Depois que ela dormiu eu recebi uma ligação de um amigo da escola me convidando pra ir na igreja com ele, eu falei q iria me arrumar e iriamos nos encontra na escola, depois disso eu tinha me esquecido que eu não podia sair, mas eu sabia que eu iria voltar antes dela acordar, la fui eu todo feliz, me encontrei com meu amigo fomos na igreja dele, depois do culto ele me falou que depois de la ele iria num aniversário de um amigo dele que fica la em Araraquara eu tontão não sabendo falar não aceitei ir com ele, pegamos o carro da mãe dele e fomos la chegamos la acho que era umas 5:00 da AM dormimos num sofá menor que eu acordei 12:00 dia, nisso eu nem tinha percebido que meu celular tinha acabado a bateria eu só fui reparar quando meu amigo pediu para eu emprestas o celular pra um amigo dele. Quando eu vi meu celular sem bateria eu fiquei branco eu já estava pensando no que minha mãe iria fazer se não encontrasse eu em casa nossa meu mundo acabou, eu sai disparado procurando um carregador coloquei meu celular carregando quando a minha amiga recebe uma ligação falando que era pra min, eu sem saber quem era atendi,era o PASTOR da igreja falando que a minha mãe tinha ligado pra ele falando onde eu estava, que esta com medo que se tivesse acontecido alguma coisa comigo ela iria ficar muito mal, nos eu pensei como ela conseguiu o numero do pastor da igreja ai sim eu fiquei assustado. Quando eu liguei o meu celular tinha 7 ligações não atendidas da minha mãe, ai eu pensei preciso voltar pra casa mas achar um ônibus de Araraquara de domingo e meio impossível ai eu tive que esperar o povo dar os parabéns pra ele esperar a festa acabar e nisso ia ficando mais tarde já tava dando 11:00 PM nosso eu já estava morrendo de preocupação. Quando acabou tudo já era 12:00 PM pegamos o carro e voltamos correndo nossa aquela noite num iria acabar quando chegamos em São Paulo já era 3:00 AM nos eu não via a hora de chegar em casa, e meu amigo falando que nem deus iria me ajudar, depois que ele me deixou em casa eu nem sabia oque iria acontecer comigo. Quando eu vi a minha mãe sentada no sofá e se levantou eu pensei é agora seja oque deus quiser ela estava na minha frente e me deu um abraso dizendo que eu nunca deveria fazer isso de novo eu surpreso eu pedi desculpas para ela e depois disso eu prometi que eu nunca sairia de casa sem avisa-la.

    Bem essa foi a maior preocupação da minha mãe.

  47. A maior preocupação que fiz minha mãe passar foi quando eu tinha 15 anos e fugi de casa. Meus pais são bastante religiosos e escolheram o meu caminho, não vi outro jeito a não ser sair de casa. Minha mãe ficou bastante preocupada, mas fui morar na casa de uma tia, e fiquei 3 meses lá. Durante esse tempo a amor de mãe falou mais alto e meus pais decidiram que eu poderia trilhar meu próprio caminho. Hoje com 23 anos sei que foi imprudência de minha parte, e crianças não façam isso!

  48. a maior preocupação da minha mae foi quando , ela falou pra mim se escrever na faculdade e eu falei que nao ia e ela brigou muito comigo e chorou , hoje eu faço Radiologia e agradeço a minha mãe por isso todos os dias.
    Preocupação da minha mae é de eu ter um profissão um dia.

  49. a maior preocupação da minha mae foi quando , ela falou pra mim se escrever na faculdade e eu falei que nao ia e ela brigou muito comigo e chorou , hoje eu faço Radiologia e agradeço a minha mãe por isso todos os dias.
    Preocupação da minha mae é de eu ter uma profissão um dia.
    hoje eu estou no segundo ano de radiologia, adoro o curso que eu faço, isso tudo eu tenho como exemplo a minha mãe que se preocupa com o meu dia-a-dia talves a preocupação dela seja que eu nao fosse nada um dia

  50. quando eu tinha eu tinha 5 anos minha mãe trabalhava numa casa de família próxima a nossa casa e eu nunca tinha saído de casa sozinho pois bem nessa casa tinha um velhinho pai do patrão da minha mãe e ele Quiz me leva com ele para feira no centro da nossa cidade chegando lá me perdi do velhinho todos saíram de casa atrás de min por incrível que pareça eu gravei o caminho e voltei para casa que estava vazia pois todos saíram a minha procura sentei no portão e esperei até que o patrão da minha mãe chegou e avisou a todos me lembro como sé foser hoje a cara e sorriso de alivio da minha mãe .

  51. A maior preocupação que fiz minha mãe passar foi quando eu estava grávida já com nove meses. Um belo dia minha mãe foi dormir após falar comigo ao telefone e até então tudo normal e tranquilo, porém acordou as 06h da manhã, com minha tia muito preocupada ao telefone, dizendo que eu estava no hospital.
    Minha cesária estava marcada para a próxima semana, e com isso tudo combinado para que ela fosse me acompanhar na maternidade, pois sabia que eu estava apavorada com a hipótese de parto normal. Foi então que minha tia passou o telefone pra minha mãe e então revelei que sua neta acabara de nascer, saudável, sem complicações e de parto normal! Minha mãe quase morreu de susto! Mas em seguida veio o alívio e a felicidade de saber que sua primeira netinha chegou. Mãe, te amo!!!

  52. Minha mãe se preocupa comigo em qualquer situação, mas teve uma ocasião que foi um exagero sem noção…Há alguns anos atrás eu e meu namorado tivemos uma discussão mas era tarde e sussurravamos para não acordar minha mãe que dormia tranquilamente em seu colchão…Mas ela acordou pensando ser um ladrão, se escondeu em baixo da cama e do celular chamou a polícia mas veio um camburão…Quando ouviu o barulho da sirene logo pensou: “E se minha filha chegar agora, que perigo ela vai correr, preciso sair no portão…E ao se deparar comigo gritou: Não façam nada eu me confundi em minha preocupação, é apenas minha filha namorando no portão…Os policiais ficaram muito bravos e pediram pra tomar cuidado numa próxima ligação…Coitadinho do coração dessa mamãe que amo de montão!!!

  53. A maior preocupação que a fiz passar foi quando fiz uma viagem para o Rio e depois São Paulo. Passei 7 dias no Rio, e tinha combinado com ela de mandar mensagem todos os dias para dizer como iam as coisas. Só que meu celular não estava funcionando direito, eu enviava a sms e ela não recebia. Ela me ligava e o meu telefone não tocava. Ela passou 7 dias sem conseguir falar comigo e sem noticias. Ai fui para São Paulo, e ao ir ao banco ver se ela tinha depositado o dinheiro para o hotel, não havia nada na minha conta. Comprei um cartão de orelhão e ai sim conseguimos nos falar. Ela brigou comigo pq eu não tinha mandado noticias e eu insistindo que tinha mandado as sms.
    Só fomos nos entender mesmo quando voltei para casa e mostrei as sms enviadas.

  54. Eu devia ter 12 anos, não lembro exatamente o motivo, mas eu me escondi no guarda roupas… o problema é que fiquei muito tempo lá dentro e acabei dormindo. Minha mãe foi a loucura e me procurou com a família inteira pelas ruas, em um dado momento ela chorando em casa meu desaparecimento…meu pai abriu o guarda roupas e lá eu estava dormindo…rs Até hoje não sei porque diabos eu entrei no guarda roupas :P

  55. Eu tinha 15 anos, fui a uma festa de aniversário de um colega de clube naquela época não existia telefone celular ainda e eu esqueci de dar o endereço só falei mais ou menos onde era a festa. Enfim a festa estava boa, eu perdi a hora, tive que dormir na casa do aniversariante e não liguei para casa até porque não tínhamos telefone, no dia seguinte pela manhã cedinho minha mãe chorando estava na porta do meu colega, ela já tinha acionado até a polícia. Até hoje eu ainda não sei como ela conseguiu chegar onde eu estava, hoje nós rimos sobre isso e ela exagerada diz que não foi só a polícia que ela acionou, ela chamou Exército, Marinha e Aeronáutica. kkk!!!

  56. A maior preocupação que fiz mamãe passar foi quando eu fui atrás de um OBJETO DE DESEJO: meu namorado. Eu me CONECTEI a ele de uma forma tão intensa que fugi de casa para encontrá-lo. Parecia um amor PRÉ-PAGO e eu confesso que saí da LINHA e arrisquei, mesmo correndo o risco de ouvir uma CHAMADA da mamãe. Ela ficou TEMPORARIAMENTE DESLIGADA do mundo enquanto eu fiquei FORA DA SUA ÁREA DE COBERTURA e no final de tudo eu mandei uma MENSAGEM pra consciência e voltei pra casa e ela, depois de me dar um TOQUE, me perdoou pelo erro porque nós temos uma forte LIGAÇÃO!

  57. foi no dia que um amigo meu que estava comigo no rio capital ligou para uma irmã minha na região serrana dizendo que era um policial e que estava no acidente que tinha acabado de aconter e queria informa que eu tinha morrido carbonizado e que só tinha sobrado meu celular uma das minhas lentes de contato. com isso minha irmã que atendeu começou a passar mau, ja que ela tem problema de coraçãol então ligaram para minha mãe que então teve uma grande preucopação; não sabia se socorria minha irmã ou se corria atras de mim para saber se era verdade ou não o telefonema , já que meu amigo ezagerou no trote. acho que isso foi uma grande preocupação ate porquê ela teve que esperar ate no outro dia quando chegue para saber se era mentira ou não , eu não tive coragem de atender o celular no dia para dizer que era só um trote. coitada da minha mãe…

  58. Sempre fui um filho atencioso e muito dedicado.Mas mesmo tomando cuidado,numa certa viagem escolar,fiz minha mãe se preocupar,e mais do que isso,quase infartar.Tinha lá meus 13 anos,quando com a turma viajamos para um Parque De Ciência.Foi uma viagem fantástica,bastante divertida.Enquanto eu aproveitava,corria,me divertia,em casa minha mãe quase que morria.Ela que é mãe coruja,vive sempre conectada,no dia da viagem quase que morreu enfartada.Combinamos que ela me ligaria sempre que sentisse saudades,mais ou menos a cada 5 minutos.Mas como no parque não era permitida a entrada com celular,a mim ela não pode se conectar,eu esqueci de avisar,e muita preocupação vim a gerar.Ela pintou e rebolou em casa,até que depois de muita luta,conseguiu um número de um familiar,que morava lá perto,mandou-o ir me buscar!Momento constrangedor,mais uma prova de amor!

  59. Ser mãe é se preocupar 24h… Por isso, tenho uma lista de preocupações!!!
    Eu a fiz PASSAR:
    - noites em claro (quando bebê, ao chorar pedindo pra mamar e a partir da adolescência, quando comecei a ficar mamado de tanto beber e voltar pra casa tarde na noite…);
    - uma montanha de roupas;
    - sermão na hora da bronca…;
    - a lição de casa;
    - a mão na minha cabeça, nos momentos em que fiquei doente ou me senti triste…;
    - situações constrangedoras com minhas malcriações em público…;
    - mal, deixando-a sem ar e fazendo seu coração acelerar, de tanto me amar…

  60. …foi no dia que um amigo meu que estava comigo no rio capital ligou para uma irmã minha na região serrana dizendo que era um policial e que estava no acidente que tinha acabado de aconter e queria informa que eu tinha morrido carbonizado e que só tinha sobrado meu celular uma das minhas lentes de contato. com isso minha irmã que atendeu começou a passar mau, ja que ela tem problema de coraçãol então ligaram para minha mãe que então teve uma grande preucopação; não sabia se socorria minha irmã ou se corria atras de mim para saber se era verdade ou não o telefonema , já que meu amigo ezagerou no trote. acho que isso foi uma grande preocupação ate porquê ela teve que esperar ate no outro dia quando chegue para saber se era mentira ou não , eu não tive coragem de atender o celular no dia para dizer que era só um trote. coitada da minha mãe.

  61. EU QUERO MUITO GANHAR NO MOMENTO EU NÃO TENHO NENHUM APARELHO DE CELULAR E AINDA , ESTOU DESEMPREGADO A MAIS DE 4 MESES EU PRECISO DE UMA COISA BOA ACONTECENDO NA MINHA VIDA EU PRECISO DO CELULAR , EU QUERO GANHAR!!!!!!!!!!!!!!!!

  62. EU QUERO MUITO GANHAR NO MOMENTO EU NÃO TENHO NENHUM APARELHO DE CELULAR E AINDA , ESTOU DESEMPREGADO A MAIS DE 4 MESES EU PRECISO DE UMA COISA BOA ACONTECENDO NA MINHA VIDA EU PRECISO DO CELULAR , EU QUERO GANHAR!!!!!!!!!!!!!!!!….

  63. foi no dia que um amigo meu que estava comigo no rio capital ligou para uma irmã minha na região serrana dizendo que era um policial e que estava no acidente que tinha acabado de aconter e queria informa que eu tinha morrido carbonizado e que só tinha sobrado meu celular uma das minhas lentes de contato. com isso minha irmã que atendeu começou a passar mau, ja que ela tem problema de coraçãol então ligaram para minha mãe que então teve uma grande preucopação; não sabia se socorria minha irmã ou se corria atras de mim para saber se era verdade ou não o telefonema , já que meu amigo ezagerou no trote. acho que isso foi uma grande preocupação ate porquê ela teve que esperar ate no outro dia quando chegue para saber se era mentira ou não , eu não tive coragem de atender o celular no dia para dizer que era só um trote. coitada da minha mãe.”

  64. Acho que foi quando eu tive que passar por uma cirurgia, sabe como é né? Mesmo sendo coisa simples, e rápida. Mãe que é mãe se desespera. Sorte que tinha uma TV LG lá, para ela se destrair, aí foi só me ver voltando que ela começou a sorrir! =)

  65. Foi em um dos meus porres básicos, onde me despeunquei de Niterói para Nova Iguaçu, não sabia como, onde estava e nem com quem…Só sabia dizer que tinha atravessado a ponte. Ela não tinha como me achar, eu não sabia onde estava e com quem estava. Sei que fui a um baile e que acordei sentada na porta de uma padaria, entrei em um taxi e mandei o motorista falar com minha mãe ao telefone para ela dizer como chegar até minha casa.

  66. Foi mais ou menos aos 12 anos, quando me apaixonei pelo mundo do PICADEIRO e resolvi fugir, de bicicleta, atrás de um CIRCO. Coitadinha da minha Mãe, quase enlouqueceu, teve que fazer CONTORCIONISMO para ir atrás de mim e no final de tudo, tive que fazer ILUSIONISMO para não apanhar!

  67. Foram tantas preocupações que já fiz minha mãe passar, mas a maior delas com certeza, foi quando ela descobriu que eu estava grávida, pois ela não sabia se ria ou se chorava, no momento a expressão de sua face foi uma incógnita, minha vontade era de sair correndo, mas ela estava de pé na porta. Depois do susto começou um longo discurso: quem vai pagar as fraldas, como vai alimentar e a educação, afinal quem vai sustentar? Como dizem: Depois da tempestade, vem a bonança. É claro eu só deixei para contar no final, que eu também iria me casar.

  68. A maior preocupação que eu fiz a minha mãe passar, foi quando eu quando criança por volta de 13 anos, acabei tendo um amor platônico por um padre. O mais incrível disso tudo é que eu coloquei na cabeça que queria seguir a carreira religiosa ao lado dele. Não importava o que a minha mãe havia me dito que jamais ele poderia se casar comigo. O que me importava é estar perto dele. O que eu não contava é que se eu virasse freira, pouco ficaria próximo dele. Hoje, trabalho com serviço social, e compreendi o que era o amor que eu sentia, não era pela carne em si, mas sim por poder ajudar como ele fazia sendo boa com as pessoas.

  69. A MAIOR PREOCUPAÇÃO QUE DEI A MINHA MÃE FOI JUSTAMENTE QAUNDO FUI GANHAR MEU PRIMEIRO FILHO, ELE QUERIA NASCER DESDE 6 MESES DE GESTAÇÃO, MAS AOS QUASE 9 MESES LOGO PELA MANHÃ COMECEI DAR SINAIS Q ELE IRIA NASCER, MORO EM CUBATÃO E MEU MEDICO ERA EM SP, ELA INSISTIU Q EU GANHASSE EM SANTOS , MAS FUI NO FINAL DA TARDE PARA A MATERNIDADE EM SP, QUASE A MATEI DE PREOCUPAÇÃO, POIS ELA FICOU COM MEDO DE MEU FILHO NASCER NA SUBIDA DA SERRA..MAS GRAÇAS A DEUS DEUS TUDO CERTO E VIREI MAMÃE DO BRENNO…..

  70. A maior preocupação que deixei minha mãe passar, foi em um dia que sai direto da escola para a casa de um amigo, para fazer um trabalho de ultima hora. E não tinha avisado para ela, como a escola fica perto de casa, normalmente chego em 10 minutos, como nesse dia passei da hora de chegar, ela já começou a me ligar, e para surpresa dela meu celular tinha descarregado a bateria, para o desespero dela! ela começou a perguntar para todo mundo se alguém tinha me visto saindo da escola, e ninguém viu, dai ela começou a ficar mais desesperada e a chorar. 2 horas depois cheguei em casa, logico, ela me disse muita coisa, mas logo taquei um beijo e pedi desculpas.

  71. Com 13 anos eu fugi de casa, estava com medo da bronca que levaria por ter ficado reprovada, na véspera da reunião dos pais, eu arrumei minha mochila com roupa e alguns pacotes de biscoito e todo o dinheiro que minha mãe tinha dado para pagar a festa de fim de ano. Passei 3 dias fora de casa, dormi na rua, senti frio, medo e fome, até que um policial me reconheceu e me levou embora, lembro da felicidade da minha mãe quando me viu, e não esqueço da bronca que ela me deu, passei 3 meses de castigo pela fuga, mas não ouvi nenhum sermão pela escola.

  72. Tensa… quem foi o escolhido??? hehehe já publicaram? eu vi só em um o escolhido do blog e vocês já escolheram? obrigado pela atenção

  73. Obrigado por ter escolhido minha frase Ana Paula! Agora é só ficar na torcida…um abraço a todos os participantes e que Deus abençõe a todos!

Nome Email Site